Secretária e presidente de Conselho dizem que e-mail não lido fez com que eleição de conselheiros tutelares fosse cancelada

A presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Katlin Calmon e a secretária de Promoção e Assistência Social, Flávia Omar foram sabatinadas na sessão ordinária realizada nessa quarta-feira (16.10) acerca do cancelamento da eleição para escolher os conselheiros tutelares de Várzea Grande. Segundo elas, a não leitura de um e-mail enviado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) foi o que causou o cancelamento da eleição. 

“A gente preza pela lisura do certame. Fizemos tudo conforme a lei, não é uma eleição fácil. Foi um e-mail que o TRE nos enviou, tivemos alguns problemas com internet e recebemos muitos e-mails, pois estávamos em dez, porém quatro nos ajudavam efetivamente. A pessoa responsável pela leitura não se atentou e houve este problema. Outras possíveis falhas estão sendo apuradas”, disse Katlin Calmon. 

Já Flávia Omar lembra que a Secretaria dá apenas a estrutura para a eleição. “Nós demos todo o suporte material e humano para que o pleito fosse realizado. Após os problemas, vi uma nota do TRE falando sobre este e-mail. Liguei para a Comissão Eleitoral para saber o que houve e me falaram que não teria nenhum e-mail. Segunda-feira cedinho eu pedi para que conferissem se existia este e-mail e vi que realmente estava lá. Isto foi uma falha grave, o e-mail que tinha informações sobre diversas alterações de urnas do dia dois de setembro até ao dia seis de outubro. O TRE e o Ministério Público são os principais órgão desta eleição, por isto é inadmissível esta falha”, destaca. 

A primeira pergunta foi do presidente da Câmara Municipal de Várzea Grande, vereador Fábio José Tardin – Fabinho (DEM) quis saber sobre o custo da eleição, quem irá ressarcir o município e por quê a escolha apenas de escolas municipais? “O custo da eleição foi em torno de R$ 7 mil e não sabemos quem irá ressarcir.  Além disto, a organização do processo eleitoral e tudo que permeia a eleição não é da minha alçada e sim da comissão eleitoral”, disse a secretária. 

O vereador Ivan dos Santos Oliveira (PRB) perguntou se o e-mail fosse lido a eleição teria sido um sucesso. “99,99% sim. Se fosse aberta aquela mensagem tenho a certeza que seria bem executada. Porém, o Ministério Público está investigando e irá se encarregar sobre o assunto. Mas, tenho certeza que agora tudo ocorrerá bem”, declara Omar.